Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Abril 2012

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930


Pesquisar

 


Escolha futura, decisão hoje

Terça-feira, 10.04.12
Por Clovis Renato Durans* | Consultores.com.br
 
Caminhos!!! Sim existem muitos, uma infinidade de direções a ser seguidas, algumas tão obvias que se sabe claramente qual o ponto de chegada, o que lá será encontrado, tanto coisas boas quanto coisas não tão boas. Caminhos obscuros, nos quais somente seguindo por eles pode-se saber como é seu percurso e o que está reservado em seu posto final.
 
Qual o momento de seguir nosso próprio caminho? O que tem maior relevância em nossas escolhas? O que realmente buscamos ao final de uma jornada? Vale a pena correr riscos ou melhor chegar a um ponto já sabido sem desgaste e correr riscos desconhecidos? Quem decide o amanhã somos nós, e isso acontece hoje.
 
Ainda na infância é chegado certo momento em que começamos a guardar em nosso subconsciente todas as informações que estão dispostas ao nosso redor, vemos e sentimos tudo, mesmo sem compreender e assimilar por completo todas essas informações nosso banco de dados começa a ser formado. Começamos instintivamente a observar tudo que as pessoas fazem, com se veste, o que gostam, o que falam, como falam, e todo o comportamento humano em seu cotidiano. Nessa fase nosso comportamento se espelha ao comportamento no qual estamos diretamente expostos, sendo esses bons ou não tão bons, pois não temos ainda em nós formado os primeiros fragmentos de nossa personalidade.
 
Mas é chegada dada hora em que esse efeito espelho começa a desaparecer, começamos a ser capazes de julgar o que realmente gostamos, o que mais nos agrada, o que nos chama a atenção, e é nesse momento que nossa personalidade começa a ser lapidada, nos levando a realidade de que todo ser humano é único e possui individualidades. A partir desse momento até o fim de nossas vidas a capacidade de escolha está em nossas mãos, é o momento em que escolheremos qual o caminho a ser seguido, qual a direção que norteara nossa vida futura em todos os âmbitos, sejam eles, pessoais, profissionais, religiosos, sexuais entre outros.
 
O momento de decisão é crucial na formação das pessoas como indivíduos dentro de uma sociedade, pois o caminho que escolhermos nos levará a sermos pessoas de bem ou não, porem em nosso percurso de vida existem muitas possibilidades e oportunidades de revermos o caminho no qual estamos direcionando nossa vida, podemos mudar de opinião, deslumbrar um novo objetivo, uma nova filosofia de vida e nada impede que possamos por vontade própria desviar nossa rota a um novo horizonte.
 
Cada pessoa possui em sua personalidade uma característica única na tomada de decisão, existem inúmeros fatores e condições que nos levam a certo momento a decidir nosso destino, pois nada, ou ninguém deveria decidir por nós nosso destino, sendo que este ultimo subtrairia dos indivíduos sua liberdade de escolha, de expressão e sua própria individualidade.
 
Dentre os muitos perfis de escolha, podemos citar algumas como as que estão mais presentes ao nosso redor, são eles:
 
Escolha racional: onde antes de decidir algo o individuo pondera todos os pros e contras dessa decisão, leva em conta todos os fatores e tanta minimizar ao Maximo a margem de se tomar uma decisão errônea.
 
Escolha emocional: é a situação quem muitas vezes se deixa levar pelo momento, pessoas com sensibilidade aflorada tendem a tomar esse tipo de decisão, onde tem em vista sanar uma necessidade momentânea, onde muitas vezes pouco ou muito tempo depois é necessário rever essa decisão pois tende a se desenrolar não como o imaginado.
 
Escolha sem escolha: infelizmente certas situações levam as pessoas a fazerem escolhas nas quais não desejariam ter de fazê-las, forças maiores as fazem fazer tais escolhas, todo assim mesmo que sem vontade própria arcar com as conseqüências dessa decisão.
 
Escolha por abdicação: onde o individuo abre mão de benefícios próprios para realizar o bem ao próximo, esta cada vez mais rara entre a sociedade dita moderna.
 
Existem muitas outras vertentes nas quais se possam alocar um ambiente de escolha, porem o mais importante é a razão de se tomar decisões corretas, onde as pessoas possam ser induzidas ao caminho do bem, a harmonia, da felicidade e que levem todos a formação de um mundo melhor, uma sociedade mais justa, onde todos busquem um horizonte em comum.

*Sobre o autor: Clovis Renato Durans é graduado em Administraçao com enfase em finanças e controladoria, MBA - Gestão de Projetos Inovadores Fundace/USP, estudos avançados em Gerenciamento de projetos com elegibilidadade a certificação CAPM - PMI, estudos em Balance Scorecard

Link do artigo:
http://www.consultores.com.br/artigos.asp?cod_artigo=970

Autoria e outros dados (tags, etc)

por INESUL às 12:33


Comentários recentes

  • Anónimo

    Porém eu lhe digo Felipa Gui, existem pessoas que ...

  • Nino

    Nem todo mundo ama essa prisão corporativa em que ...

  • Felipa Gui

    Sinceramente pra falar a verdade e pra aprender a ...

  • Katherine

    Oi eu tenho uma dúvida, se eu fui aprovado em um p...

  • Saulo

    Sera que os profissionais de RH leram esses coment...